Profecia

Diz a antiga lenda
Tão antiga que não tem legenda

Que a guerra imortal só finda
Quando a criança abençoada for investida

Pois das treze tribos, uma está perdida
Para sempre no mar desaparecida.

E as doze restantes, tão parecidas,
Restam apenas almas mortais, imortalmente apodrecidas.

Os Gregos, do sangue, sua imortalidade tiraram
Os Nórdicos, na lua, sua verdadeira face mostraram

Os Celtas, nos Círculos de Pedra, rezavam
Os xamãs, através dos animais de poder, se manifestavam

Os Astecas, aos espíritos, proteção clamavam
Os Egípcios, em seres meio-homem, meio-animal, se transformavam

E os Romanos, às outras tribos, impiedosamente caçavam

Sobre Drika Yar

A autora nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1971. Curiosa e questionadora, sempre buscou formas diferentes de olhar para as coisas a sua volta, talvez, daí tenha surgido o interesse pela área de exatas. Seu gosto pela leitura e, posteriormente, pela escrita aflorou ainda na adolescência em meio sua fascinação por ficção científica, bem como, pelos contos e lendas das Eras Antiga e Medieval.
Esse post foi publicado em Poesia, Verso. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s