Arquivo da categoria: Verso

Bem-te-vi!

– Bem-te-vi. Escutou o moleque arteiro Levantando a cabeça e procurando cabreiro O danado do Zé Fuleiro. – Bem-te-vi. Repetiu o arruaceiro E o menino largou do gato ligeiro Com medo do pai, sapateiro. Debaixo de um aguaceiro Subiu no … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Soneto, Verso | Deixe um comentário

Espaço

O espaço, o homem conquistou Quando na lua audaciosamente andou, Sobre seu solo caminhou, E sua bandeira ali cravou. O macacão o astronauta não guardou. – A Lua já passou. Aposentado não estou! Agora, é pra Marte que vou! Da … Continuar lendo

Publicado em Crônica, Poesia, Sci-Fi, Verso | Deixe um comentário

Feitiço da Lua

Longe, No horizonte, A lua se ergue radiante, Com o brilho prata-azulado brilhante. Da janela, cada ente Seja gente ou imaginação da gente Espreita o luar emocionado Que brilha isolado Num céu desnorteado Nada estrelado. Atordoado, O inocente Sol segue … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Verso | Deixe um comentário

A Raposa e as Uvas

A raposa, as uvas, viu E, vontade de prová-las, sentiu E eis que na parreira subiu, Quando ninguém viu. Primaveras depois, novamente, as uvas viu Mas como subir não viu Por que a parreira vil Em direção ao céu subiu … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Verso | Deixe um comentário

A Bela e a Fera

Perguntei à Bela, O que ela viu na Fera. – Uma beleza singela. Respondeu-me ela. – Fera, o que vistes na Bela? Indagou a Cruela. – Vi que debaixo da face bela, Jaz uma mulher-fera. O que iniciou com o … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Verso | Marcado com , | Deixe um comentário

O Silencioso e o Furioso

  A amizade dava o que falá A serpente e o tigre iam pra lá e pra cá, E mesmo com o buchicho que corria aqui e acolá, Sua amizade, nada deixavam abalá O tigre de bobo nada tinha Conhecia … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Verso | Marcado com , , | Deixe um comentário

Unhas delicadas

A dog na sua frente sentou A pata sobre sua coxa pousou Para a jovem fitou E quase com um miado chorou. A jovem sua cabeça acariciou. Em seus olhos mergulhou. Mas nada encontrou. – Por que ela chorava? – … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Verso | 2 Comentários

Como nascem os Engenheiros?

Engenheiros não se formam, No fogo do inferno são forjados A cada disciplina ameaçados E pelos professores desafiados Nascem desconfiados, Incrédulos inveterados. Questionam até o advogado, Sabe, aquele do Diabo. Quando se sentem encurralados Com o projeto atrasado Revisam o … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Verso | Marcado com , | Deixe um comentário

Jingle bell! Acabou o papel!

Quando o banheiro usar Se o papel higiênico acabar Lembre-se de colocar Outro no lugar. Se ao arremessar, O cesto não acertar! Não custa se abaixar! E no lugar certo, o papel colocar! Se errar, Ao xixi aéreo mirrar, Lembre-se … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Soneto, Verso | Deixe um comentário

O banho

Gato que é gato não toma banho Toma ‘banho de gato’. Mas se o gato não toma banho, Como é o banho do gato? O gato ensaboado Da água se esgueirou. E com olhar desconfiado, Ao redor da pia, caminhou. … Continuar lendo

Publicado em Poesia, Verso | Marcado com , , , | Deixe um comentário