Fauna Estranha

Fauna Estranha - Drika Yar

Versão em Áudio:


Fauna Estranha

Drika Yar

Nunca vi a jiripoca piar,
O sábio sabiá,
Ou a suçuarana serpentear
Entre o pau-brasil e o jequitibá.

O bicho-de-sete cabeças se cocar
O espírito-de-porco se alimentar
Vaca driblar
Ou minhoca pensar

Lobo em pele de cordeiro se revelar
O Gato a lebre imitar
Ou mesmo, Boi na linha parar.

Muito menos, cavalo na chuva ficar,
Ou o elefante usar celular
Se bem que, com a macaca, ele pode estar.

Sobre Drika Yar

A autora nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1971. Curiosa e questionadora, sempre buscou formas diferentes de olhar para as coisas a sua volta, talvez, daí tenha surgido o interesse pela área de exatas. Seu gosto pela leitura e, posteriormente, pela escrita aflorou ainda na adolescência em meio sua fascinação por ficção científica, bem como, pelos contos e lendas das Eras Antiga e Medieval.
Esse post foi publicado em Fala sério! Mais poesias?, Poesia, Soneto, Verso. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s