Ah! É do Egito!

Brasil guerra não curte não
Talvez seja por isso que o mosquitão
Tenha se mudado pra cá
Sonhando em nosso sangue se banhá(r)

O danado do alado de nome egípcio
Apesar de efêmero
Parece estar sempre no cio
Pica tanto a criança quanto o adultero

Importado da África
O mosquito-zebra de pernoca listrada
Visitou tudo que é canto, inclusive Piracicaba

Já não bastasse sua Flórida chegada
Sua indolor picada é a maior furada
Deixa a gente dengosa numa uma zica danada!

Sobre Drika Yar

A autora nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1971. Curiosa e questionadora, sempre buscou formas diferentes de olhar para as coisas a sua volta, talvez, daí tenha surgido o interesse pela área de exatas. Seu gosto pela leitura e, posteriormente, pela escrita aflorou ainda na adolescência em meio sua fascinação por ficção científica, bem como, pelos contos e lendas das Eras Antiga e Medieval.
Esse post foi publicado em Fala sério! Mais poesias?, Poesia, Soneto, Verso. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s