O Urubu e o Boi

“O mal do urubu é pensar que o boi está morto”

Dizia meu pai, todo orgulhoso

Estufando o peito pomposo

Enquanto a ele direcionávamos um olhar curioso

 

Quando menos se esperou

O boi no urubu a pata bateu.

E sem remorso ele respondeu:

– Antes ele do que eu!

 

A cada tarde o urubu agourava

A saúde do touro-quase-vaca

Que nem de pé ele se aguentava

 

Quando um dia o boi adormeceu, o urubu do céu desceu.

– Até que enfim, ele morreu!

E o coice que o boi deu, o urubu jamais se esqueceu!

Sobre Drika Yar

A autora nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1971. Curiosa e questionadora, sempre buscou formas diferentes de olhar para as coisas a sua volta, talvez, daí tenha surgido o interesse pela área de exatas. Seu gosto pela leitura e, posteriormente, pela escrita aflorou ainda na adolescência em meio sua fascinação por ficção científica, bem como, pelos contos e lendas das Eras Antiga e Medieval.
Esse post foi publicado em Poesia, Soneto, Verso. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s