A Roda do Ano: Parte I – Primavera

A Roda do Ano

Parte I – Primavera

A Primavera é o alvorecer da roda do ano,
Quando a neve se esmorece ao olhar Balzaquiano
Revelando a relva ao bichano
Que espreita com olhar cartesiano

Nos rios, o gelo derrete sem danos,
Sem rumo, sem enganos,
Velozmente insano e inumano
Num tormento quase diluviano.

Apesar do leviano olhar humano,
Os animais ficam encantados,
Amáveis e enamorados.

As flores desabrocham num oceano
De cores contagiantes de um rúbeo mundano
Em meio ao cinza urbano.

Sobre Drika Yar

A autora nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1971. Curiosa e questionadora, sempre buscou formas diferentes de olhar para as coisas a sua volta, talvez, daí tenha surgido o interesse pela área de exatas. Seu gosto pela leitura e, posteriormente, pela escrita aflorou ainda na adolescência em meio sua fascinação por ficção científica, bem como, pelos contos e lendas das Eras Antiga e Medieval.
Esse post foi publicado em Poesia, Verso. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s