Alma Escoteira

Coruja, Tigre e Zebra a patrulhar
Ali a curtição era formar, alinhar, Apresentar
e o grito da Patrulha anunciar
Antes dos jogos porem-se a participar

Primeiro, teriam que um rio atravessar
A distância estimar para Bambu cortar
A ponte arquitetar,
E, com ela, o rio cruzar.

O segundo jogo começou, e uma árvore teriam que escalar
Nós em corda tiveram que dar para ao topo chegar,
e o medo de altura superar

No final, a pista de obstáculo estava a esperar
E enlameados sorriam ao acenar
Quando a linha final conseguiam cruzar.

 

 

 

Sobre Drika Yar

A autora nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1971. Curiosa e questionadora, sempre buscou formas diferentes de olhar para as coisas a sua volta, talvez, daí tenha surgido o interesse pela área de exatas. Seu gosto pela leitura e, posteriormente, pela escrita aflorou ainda na adolescência em meio sua fascinação por ficção científica, bem como, pelos contos e lendas das Eras Antiga e Medieval.
Esse post foi publicado em Poesia, Verso e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s