“O Oráculo”

por Adrianna Ribeiro

Sua busca, eis que um dia finda,
Não o Tarot de Marselha ou Búzios admiraria,
Mas o singelo tilintar de pedras pelo ar,
Pois as runas, o futuro iria lhe revelar.

Sobre um manto negro, sua mão sentia vida
Que emanava das pedras com um ardor fúlgido, ainda que vivido,
E em segundos a cartomante via
As escolhas ofertadas pela vida.

Passado, presente e futuro se mesclaram
Num emaranhado de imagens,
Belas, perigosas viagens.

Mas quem nela iria acreditar
Que os perigos e o futuro as pedras estavam a lhe contar
Se o deslumbrar das pedras, ninguém conseguia enxergar.

Sobre Drika Yar

A autora nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1971. Curiosa e questionadora, sempre buscou formas diferentes de olhar para as coisas a sua volta, talvez, daí tenha surgido o interesse pela área de exatas. Seu gosto pela leitura e, posteriormente, pela escrita aflorou ainda na adolescência em meio sua fascinação por ficção científica, bem como, pelos contos e lendas das Eras Antiga e Medieval.
Esse post foi publicado em Poesia, Soneto e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s